Tag Archives: Referências Bibliográficas

Referências Bibliográficas para os componentes de Documentário.

19 Mar

Referências Bibliográficas1

 

BARNOW, Erik. Documentary – A history of the non-fiction film. 3ª ed. rev. New York: Oxford University Press, 1974.

BAZIN, Andre. O Cinema – ensaios. Trad. Eloísa de Araújo Ribeiro. São Paulo: Brasiliense, 1991.

BERNARDET, Jean-Claude. Cineastas e Imagens do Povo. São Paulo: Cia. Das Letras, 2003.

________. “Le Documentaire” e “Méandres de l’identité”. In: Paranaguá, Paulo Antonio (org). Le Cinema Brésilien. Paris: Centre Georges Pompidou, 1987, p. 165-178 e 231-244.

________. “Novos Rumos do Documentário Brasileiro?”. Catálogo do forumdoc.bh.2003 VII Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte. Belo Horizonte: Filmes de Quintal, 2003, p. 24-27.

BURTON, Julianne. Cinema and Social Change in Latin America – Conversations with Filmmakers. Austin: University of Texas Press, 1986.

COMOLLI, Jean-Louis. “Sob o Risco do Real” e “Carta de Marselha sobre a auto-mise-enscène”. Catálogo do forumdoc.bh.2001 V Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte. Belo Horizonte: Filmes de Quintal, 2001, p. 99-108 e 109-116.

__________. “Le detour par le direct” (partes I e II). Cahiers du cinema, n°s. 267 e 269.

COUTINHO, Eduardo. “Fé na Lucidez”. (Entrevista a propósito do lançamento de “Santo Forte”). Sinopse (revista de cinema), São Paulo, 1999, nº 3, ano I, Dossiê Documentário, p.20-29.

DA-RIN, Silvio. “O espelho partido – tradição e transformação do documentário”. São Paulo: Azougue, 2006. 94

HOLANDA, Karla. “Documentário brasileiro contemporâneo e a micro-história”. Devires, Belo Horizonte, v. 2, n°1, p. 86-101, jan-dez, 2004.

JACOBS, Lewis (org.). The Documentary Tradition. New York/London: W.W. Norton & Company, 1971.

LINS, Consuelo. Eduardo Coutinho – Televisão, Cinema e Vídeo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

MESQUITA, Cláudia. “Alargando as margens – Análise de três vídeos documentais independentes”. In: Made in Brasil – Três Décadas do Vídeo Brasileiro (org: Arlindo Machado). São Paulo: Itaú Cultural, 2003.

MESQUITA, Cláudia e SARAIVA, Leandro (orgs). Catálogo da Retrospectiva Diretores Brasileiros – Eduardo Coutinho (Cinema do Encontro). São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, 2003.

MOURÃO, Maria Dora & LABAKI, Amir (orgs). O cinema do real. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

NICHOLS, Bill. Introdução ao Documentário. Campinas/SP: Papirus, 2005.

NINEY, François. L’Épreuve du Réel à L’Écran – Essai sur le principle de réalité documentaire. Bruxelas: Éditions De Boeck Université, 2000.

OMAR, Arthur. “O Antidocumentário, provisoriamente”. Revista de Cultura Vozes, v. LXXII, Ago/1978, p. 5-18.

____. Antropologia da Face Gloriosa. São Paulo: Cosac & Naify Edições, 1997.

PARANAGUA, Paulo (org.) El cine documental en Latino América. Cátedra Madrid, 2003. 95

PETRIC, Vlada. Construtivism in film – The man with the movie camera, a cinematic analysis. London: Cambridge University Press, 1987.

RENOV, Michael. “New Subjectivities: Documentary and Self-Representation in the Post-Verité Age”. In: Documentary Box # 7. July, 1995.

SALLES, João. “Como voltar para casa com um filme que você não concebeu”. Entrevista à Cinemais, Rio de Janeiro, nº25, setembro/outubro 2000, p. 7-44.

SARAIVA, Leandro. “Edifício Master: uma comparação com Theodorico, Imperador do Sertão e Santo Forte” . Revista Interseções, n°1, julho de 2003.

_________. “Notas em torno de O prisioneiro da grade de ferro – auto-retratos”. Revista Novos Estudos Cebrap, no. 68, maio/2004.

_________. “Jorge Furtado: representação crítica e códigos dominantes de representação”. Sinopse (revista de cinema), São Paulo, 1999, nº 3, ano I, Dossiê Documentário.

SHWARZ, Roberto. “O Fio da Meada”. In: Que Horas São? – Ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 1987, p.71-77.

XAVIER, Ismail. “Do Golpe Militar à Abertura: a resposta do cinema de autor”. In: Xavier, Ismail et al. O Desafio do Cinema: A Política do Estado e a Política dos Autores. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985, p. 7-46.

______. “O Cinema Moderno Brasileiro”. Cinemais, Rio de Janeiro, nº4, março/abril de 1997, p. 39-64

_______. “O Cinema Brasileiro dos Anos 90”. Entrevista à revista Praga – estudos marxistas, São Paulo, Editora Hucitec, n° 9, junho de 2000, p. 97-138.

_______. “Documentário e afirmação do sujeito. Eduardo Coutinho na contramão do ressentimento”. In: Estudos de Cinema SOCINE, ano IV. São Paulo: Editora  Panorama/FAPESP, 2003b.

 

1 Referências Bibliográficas retirada do Manual Didático da Oficina para formatação de Projetos Doctv Brasil IV.

Advertisements
%d bloggers like this: